É normal pré-adolescentes terem vergonha dos pais

Postado em 04/03/2018

É normal pré-adolescentes terem vergonha dos pais

Não querer dar beijo de despedida na porta da escola, nem a mão para andar ou atravessar a rua são alguns sinais de que seu filho pré-adolescente está crescendo e, pior, pode estar com vergonha dos pais. Os especialistas consideram o comportamento normal, mas para os pais pode representar uma dor, uma ruptura, porém é preciso deixar claro que é só uma fase e passa.

Muitas atitudes antes normais, como levar o filho até a porta da escola, passam a se tornar "mico" a partir dos 10 anos, quando os pré-adolescentes se sentem envergonhados por que não são mais crianças, mas mantém hábitos infantis, que podem acarretar a gozação dos amigos.

De acordo com os psicólogos infantis, ao se sentirem mais adultos, os pré-adolescentes podem ter vergonha de algum comportamento dos pais que não aprovam e que não querem que os amiguinhos vejam, como o jeito de falar ou de se vestir.

Porém, há outras situações que fazem os filhos demonstrarem vergonha dos pais. Pode ser que ele não tenha pensado ou sentido isso, mas ouviu um amigo falar que é feio ou "coisa de criança" andar com os pais, que é preciso ser independente, fazendo com que ele mude de atitude ou passe a considerar que está mesmo "pagando mico" por não se comportar como os demais.

Mesmo sendo difícil, é preciso que os pais se aproximem para saber os reais motivos daquela atitude e a melhor forma de fazer isso é conversando abertamente sobre os motivos de não querer mais esse ou aquele comportamento que antes era considerado tão carinhoso.

Se a resposta da criança convencer, tudo bem, senão, é preciso investigar para então conversar e resolver. Caso contrário, se a situação não for tratada, a criança pode crescer com complexos mal resolvidos ou uma culpa desnecessária por querer um contato maior com os pais, mas temer passar vergonha no grupo social.

Normal ou excessiva?

Esta fase de ter vergonha dos pais pode ser normal, mas, dependendo da situação e de como ela se desenvolve, também pode se tornar atípica. Se a mudança do hábito for algo passageiro, não é preciso se preocupar, porque logo o filho perceberá que não há problema os pais estarem ali.

Entretanto, tudo depende do motivo que levou o filho a sentir vergonha. Por isso é importante os pais estarem atentos para qualquer mudança de comportamento, porque a criança tem que aprender a lidar com as diferenças e não somente fugir da situação. Esta atenção e participação dos pais na vida dos filhos são muito significativas para que os ensine a resolver questões, além de evitar que coisas ruins aconteçam como o envolvimento com pessoas erradas por influências externas.

Outras Notícias

 

Como interpretar os desenhos das crianças
Postado em 15/07/2018

O desenho pode ser, na infância, um canal de comunicação da criança e seu mundo exterior

Segundo os psicólogos da Unidade de Desenvolvimento Psicológico e Educativo de San Salvador, por ética, só uma pessoa especializada, como algun...
leia mais »

Como ajudar seu filho a construir um projeto de vida
Postado em 08/07/2018

Ter grandes perspectivas de futuro é a forma mais eficaz do jovem compreender que vale a pena investir nos estudos

 

É um fato observado por educadores: ter uma perspectiva de futuro é a forma mais eficaz do jovem compreender que vale a pena ...
leia mais »

12 atividades simples para ajudar seu filho a desenvolver a coordenação motora
Postado em 01/07/2018

Aos três anos, a criança já deve ser capaz de controlar a concentração e a coordenação motora necessárias para fazer movimentos finos e precisos com os dedos. Veja algumas atividades fáceis de fazer no dia a dia, sugeridas por especial...
leia mais »