Por que as crianças pequenas gritam?

Postado em 11/02/2018

  Por que as crianças pequenas gritam?

Acredite: seu filho não levanta a voz para te aborrecer. Na verdade, ele está cheio de energia e alegria de viver, e está fazendo experiências com o poder da voz. Mas por que isso acontece justamente quando vocês estão no banco ou no supermercado?

"Há um efeito de eco superlegal quando você grita em espaços grandes", diz Roni Lederman, do Centro para Família da Universidade New Southeastern, na Flórida, EUA. "E as crianças sabem que conseguirão mais atenção dos pais se gritarem em público".

Algumas crianças pequenas gritam quando querem a atenção dos pais; outras berram quando querem algo que lhes está sendo recusado, como balas e doces.

O que fazer

Gritar com seu filho para que ele abaixe a voz não ajuda -- só passa a mensagem de que quem ganha é quem grita mais alto. A melhor aposta é evitar situações que convidem a criança a levantar a voz, e distraí-la quando ela fizer isso. Algumas idéias que podem ajudar:

Saia com seu filho quando ele estiver nas melhores condições possíveis. Sempre que der, antes de carregá-lo para algum lugar, certifique-se de que seu filho está descansado, de barriga cheia e bexiga vazia quando saírem de casa. Pense em como você fica (sem energia e sem paciência) quando tem de ir ao supermercado com fome ou cansado.

Escolha lojas e restaurantes barulhentos. Quando estiver com seu filho, evite lugares quietos, formais ou que inspirem intimidade. Vá para onde as famílias vão. Será menos constrangedor se seu filho resolver gritar em um restaurante que já é barulhento.

Peça para seu filho usar uma voz normal. Se seu filho começar a gritar porque está feliz, procure não criticá-lo. Mas se isso estiver incomodando de verdade, peça para ele usar uma voz normal e parar de gritar. Abaixe sua voz para que ele tenha de ficar quieto para conseguir escutar você, e diga -- calmamente -- que a gritaria está dando dor de cabeça.

Invente brincadeiras. Experimente dizer para o seu filho: "Vamos gritar o mais alto que a gente conseguir", e junte-se a ele na gritaria. Em seguida, abaixe o volume e diga: "Agora vamos ver quem consegue falar mais baixinho". Continue brincando, sugerindo outros movimentos, como colocar as mãos nas orelhas ou pular.

Isso fará com que gritar pareça apenas mais uma brincadeira. Para agilizar (na rua, por exemplo), você pode dizer: "Nossa, você está parecendo um leão! Agora vamos ver se você consegue imitar um gatinho".

Preste atenção nos sentimentos da criança. Se seu filho está gritando porque quer a sua atenção, pense e reflita se ele realmente está desconfortável ou precisando de algo. Se você achar que o lugar onde vocês estão -- como um supermercado grande e lotado -- é demais para ele, saia assim que der e da próxima vez procure fazer compras em lojas menores, ou em horários em que os supermercados estejam menos cheios. Aos poucos, faça-o se acostumar com lugares grandes e lotados de novo.

Se você achar que a criança está apenas um pouco entediada ou mal-humorada, não a ignore. Diga que você sabe que ela quer ir para casa, mas peça para ela esperar só mais um pouquinho. Ela saberá que você sabe como ela se sente. E você também vai ajudá-la a aprender como explicar o que está sentindo com palavras.

Agora, se seu filho grita porque acha que assim vai conseguir o biscoito, não dê o braço a torcer. Se der o biscoito, você só vai ensinar que ele consegue o que quer gritando. Em vez disso, explique, com calma, que você sabe que ele quer o doce, mas que é preciso terminar outras coisas primeiro, e que ele pode comer quando chegarem em casa.

Não se preocupe em dizer que ele só poderá comer o biscoito mais tarde se se comportar bem agora -- quando ele finalmente ganhar a bolacha, provavelmente nem se lembrará do que fez para merecê-lo.

Mantenha seu filho ocupado. Você pode transformar seus compromissos em algo divertido para seu filho. Experimente:

- Brincar de um jogo: uma mãe de um bebê de 1 ano e 3 meses conta que conversa bastante com o filho. "Explico o que estou fazendo, o que está acontecendo à nossa volta, quem está por perto. Ele fica quieto quando está ocupado". Peça para seu filho ajudar a pegar os objetos das prateleiras do mercado, ou invente uma música sobre o que você está fazendo. Cante: "As bananas, as bananas, vou comprar, vou comprar, para o meu filhinho, para o meu filhinho, devorar, devorar...". Use a criatividade e invente na hora!

- Ofereça brinquedos e lanchinhos: mas faça isso antes que seu filho comece a berrar. Se você esperar até ele começar a gritar, ele vai ligar uma coisa à outra e achar que tem que levantar a voz para ganhar algo. Você pode experimentar deixar um brinquedo de que ele realmente gosta no carro, para que ele fique bastante entretido enquanto vocês estão na rua, tratando dos compromissos.

Ignore as pessoas ao redor. Muitas mães acham difícil lidar com a criança que fica gritando enquanto outras pessoas ficam lançando olhares tortos. Se você estiver numa igreja ou em um restaurante silencioso, o melhor é levar a criança para fora por um tempo, até ela parar. Mas, num supermercado grande, não é preciso se preocupar tanto com o que os outros vão dizer ou pensar.

 

Outras Notícias

 

Vale a pena pagar por reforço escolar?
Postado em 21/09/2018

O fim do ano letivo está chegando. Muitos estudantes pensam nas férias de verão, enquanto outros estão preocupados com as notas vermelhas no boletim. Para estes estudantes que comprovadamente não aprenderam o conteúdo previsto nas suas séries, o ri...
leia mais »

10 razões para ter um parceiro de estudos
Postado em 13/09/2018

Um parceiro de estudos pode ajudá-lo de diversas maneiras. Por exemplo, se você é bom em matemática, mas não entende os conteúdos de literatura, estude com um amigo que sabe explicar a matéria para você e que tem dificuldades com matemá...
leia mais »

4 mitos da dislexia
Postado em 04/09/2018

A dislexia é a dificuldade para ler, escrever e se expressar. Saiba algumas histórias bem mentirosas sobre o problema

A dislexia é caracterizada pela dificuldade na área da leitura, escrita e expressão. Contudo, ela é identificada na sala de aul...
leia mais »